Em Nampula, populares recusam-se a aceitar que os pulverizadores entrem nas suas residências. No bairro de Namicopo, mais de cinquenta casas não foram pulverizadas.

As razões da recusa não são ainda muito claras, mas acredita-se que estejam ligadas  à falta de informação.

Estão envolvidos na campanha de pulverização das residências, que termina em Janeiro, perto de trezentas pessoas.

O País