Uma enfermeira do Centro de Saúde de Muelé, na cidade de Inhambane, acaba de ser expulsa do aparelho do Estado por cobrar dinheiro no atendimento a pacientes.

Após a enfermeira condenação pelo Tribunal Judicial da Cidade de Inhambane, deverá igualmente cumprir 10 anos de prisão maior.

Pelo mesmo crime foi condenada com a pena de sete meses de prisão a uma outra enfermeira que também exercia as suas funções na mesma unidade sanitária.

As duas enfermeiras de saúde materno-infantil cobraram novecentos meticais para assistir um parto.

Num dos casos, o estado de saúde de uma parturiente agravou-se enquanto procurava dinheiro para ter atendimento no hospital público, acabando por gerar um nado morto. Após o parto, estas enfermeiras rasgaram o processo clínico da parturiente para falsear os passos que deram a origem ao nado morto.

RM