Hoje (29) os moçambicanos não se fizeram às ruas em protesto contra a situação econômica do país numa clara alusão à aderência aos apelos do governo e outras vozes activas da sociedade.

Nos últimos tempos houve rumores de que havia sido programada uma greve para hoje, 29 de Abril de 2016, em todo o país, para os moçambicanos reivindicarem contra a actual situação económica que o país enfrenta.

As vozes sorrateiras fizeram-se sentir nos meios de comunicação virtuais, principalmente, nos de ‘chat’ privados: facebook, whatsapp, instagram, etc. Desde então, as pessoas ficaram alertas para eventual instabilidade nas ruas e avenidas, principalmente, na capital do país, cidade do Maputo, onde tem sido o epicentro de greves e de manifestações contra o governo.

Por conseguinte, ontem, nos meados da tarde, o governo direccionou contingente militar para os principais pontos tumultuosos da capital: T3; Magoanine; Aeroporto; Expresso; Maxaquene; e, Ripinga. Então, ainda ontem, os citadinos compraram pães e outros alimentos de primeira necessidade para evitarem sair das suas casas.

Às primeiras horas do dia de hoje as ruas estavam vazias: poucas pessoas; poucos automotores – sinais dramáticos daquele ruído ensurdecedor a que se habituou misturado àquele aparato de pessoas descendo e subindo dos xapas e deixando os cobradores com um ou dois meticais quando dizem “não temos trocos mãe!”

chapa

Essa incerteza de gritos, de queima de pneus no meio das estradas e poluição do meio, lançamento de pedras para qualquer viatura, residência, estabelecimento comercial, e, mais grave ainda, para pessoas que sentem na barriga o declínio da economia do país, fez com que a circulação fosse camaleante. Quem decidiu não trabalhar mudou de ideia ou realmente está bancado numa barraca da zona com uns bradas a ‘boemiar no ócio’.

Os bradas deste país maningue nice, apesar da existência de “pessoas” que estupram o país de quatro, preferem umas bitolas na barraca à uma greve. Boa cena, que deve ser feita com bom cuidado. Mas uma cena melhor seria deixar as beers a gelarem mais um bocado para o final de semana e recuperar o tempo perdido, jobar…