O líder máximo da igreja católica preparou um documento para flexibilizar processos de divórcio.

Agora, para anular o casamento, os cônjuges irão à diocese onde contraíram o matrimónio e  manifestarão o interesse. Anteriormente, se seguiam os trâmites até à concordância de um tribunal do Vaticano em caso de diferenças entre as duas sentenças, e se recorria a um tribunal de recurso. Logo, o processo era lento e dispendioso – esse é um dos grandes problemas que o Papa quer ver resolvido, podendo, os processos, vir a ser gratuitos.

A declaração de nulidade permitirá, aos divorciados, casar novamente pela igreja.

As alterações devem vigorar, a partir do dia 8 de Dezembro, para coincidir com o início do Jubileu da Misericórdia anunciado pelo Papa.

O documento ‘Senhor Jesus, manso juiz’ deposita confiança nos bispos diocesanos, mas não altera a teologia sacramental do casamento na/pela Igreja.

Fonte: Noticias ao Minuto