A livre circulação de viaturas e peões, na zona da lixeira de Hulene, na cidade de Maputo, encontra-se mais uma vez ameaçada, isto porque o muro que faz a vedação do local voltou a desabar e os resíduos sólidos ali depositados estão a espalhar-se invadindo a Avenida Julius Nyerere.

Segundo as autoridades municipais, o desabamento do muro deveu-se à pressão exercida pelas fortes chuvas que caíram na zona sul do país, no passado mês de Dezembro.

Para além disso, os camiões que recolhem o lixo enfrentam dificuldades para aceder o interior da lixeira, pelo que os operadores chegam a depositar os resíduos sólidos no seu exterior, para remover posteriormente com o auxílio de uma pá escavadora.

Em declarações ao Jornal Notícias, o Vereador de Salubridade e Cemitérios no Município de Maputo, Florentino Ferreira, disse a edilidade está a organizar-se para repor com urgência a vedação.

“Nós estamos a fazer o levantamento dos danos resultantes da queda do muro, devido às últimas chuvas e dentro de alguns dias iniciaremos com os trabalhos com vista à reposição da vedação”, disse Ferreira.

O vereador explicou ainda que   o desabamento do muro está associado aos demais estragos causados pelas chuvas que caíram nos últimos tempos nas cidades de Maputo e Matola, apesar de há anos a vedação daquela lixeira ameaçar ruir em alguns pontos.