O Presidente da República, Armando Guebuza convidou os empresários norte-americanos a investirem em Moçambique e principalmente os da área ferro-portuária pois este sector é um grande desafio para o escoamento de carvão nas zonas de produção para os portos da Beira em Sofala e Nacala na província Nampula.

  O convite foi feito à margem de um pequeno-almoço de carácter  económico que Guebuza teve ontem em Washington com 180 empresários congregados no Conselho Corporativo para África (CCA).

Falando durante um encontro com vários empresários norte-americanos  Guebuza vincou que fazia esta renovação do convite porque, apesar de que já há um grande número de empresas americanas a investirem estas não são ainda suficientes para o grande potencial de que o país dispõe.

Segundo Guebuza, Mocambique possui vantagens por se localizar ao longo da costa e servir a muitos países da região, mas que se debate com problemas de logística, não só ao longo das linhas mas também nos portos, pontos a partir dos quais e exportado.

“O grande desafio é aumentar as capacidades de transporte e de manuseamento nos portos e de forma harmonizada para evitar situações de uma produção que possa não ser correspondida pelos serviços de transporte”, disse.

De entre os projectos que precisam de grandes investimentos para que estes recursos minerais possam ser exportados, segundo Guebuza, conta-se o caso do carvão que foi sendo descoberto em Tete e cuja exploração ainda está numa fase inicial.

De acordo com Armando Guebuza a construção de mais linhas férreas é uma das potencialidades que os empresários norte-americanos podem investir de forma imediata, para que se possa ter uma maior capacidade para o escoamento do carvão de Tete cuja extracção irá, certamente, aumentar nos próximos anos.