Eusébio Lino Albino, padre da Igreja Católica em Quelimane, na província da Zambézia, está a ver o sol aos quadradinhos numa das esquadras da Polícia em resultado de ter sido surpreendido a praticar bruxaria na companhia de um suposto curandeiro coadjuvado por dois indivíduos, num cemitério familiar, na noite do último sábado (29), no povoado de Cazivela, no bairro Namuinho.

Segundo testemunhas, o grupo foi encontrado na posse de medicamentos tradicionais. A neutralização de Eusébio Albino aconteceu quando alguns habitantes do povoado de Cazivela suspeitaram da movimentação de gente estranha no cemitério em alusão, num período impróprio para visitar as campas de ente queridos.

Após algumas perguntas cujas respostas não convenceram a população, o sacerdote e os seus comparsas foram agredidos fisicamente, o que resultou no ferimento grave do alegado curandeiro que, neste momento, está sob cuidados médicos intensivos no Hospital Provincial de Quelimane.

Na sequência de escaramuças perpetradas pela população, segundo apurámos, o padre tentou fugir e abandonou a sua viatura com a chapa de inscrição ADD-220 MP, porém, volvido algum tempo caiu nas mãos dos habitantes. O secretário do bairro Namuinho, Olímpio Abreu Santos, disse que houve uma tremenda agitação no local, por isso, foi necessário pedir a intervenção da Polícia com vista a amainar os ânimos.

Ao @Verdade, o padre Eusébio Albino negou tecer comentários sobre o seu envolvimento em actos de bruxaria, tendo prometido falar sobre o assunto nos próximos tempos. Todavia, um parente do visado, que a seu pedido ocultamos a sua identificação, disse que o sacerdote sofre de problemas de saúde e consultou um curandeiro. Este sugeriu que o tratamento da enfermidade que apoquenta o seu paciente só pode ser feito num cemitério e no período da noite.

A interpretação da população sobre o episódio é de que Eusébio Albino pretendia recorrer à magia negra para se tornar rico. Até a manhã desta segunda-feira (31), os dois assistentes do curandeiro estavam, também, detidos numa das esquadras da cidade de Quelimane. O padre que era director Espiritual do Seminário Santo Agostinho e Capelão da Universidade Católica de Moçambique já esta suspenso, segundo a Rádio Moçambique, que cita o Vigário daquela Diocese.