O Projecto está orçado em pouco mais de um milhão de dólares norte-americanos.

Esta informação foi dada a conhecer a dias no decurso da Reunião Anual entre aquela instituição de ensino superior no país e os UEM e parceiros de cooperação que serviu para a avaliação das actividades realizadas em 2012, financiadas pelo governo sueco, através do programa Asdi.

Segundo o coordenador do programa Medical Radiations Physics, Alexandre Maphossa, do Departamento de Física da Faculdade de Ciências da UEM, entidade que está a frente do projecto da instalação deste Acelerador Linear, o aparelho será instalado no bunker do Hospital Central de Maputo devido à exiguidade de fundos por parte da universidade para a construção de instalações próprias (bunker) no campus universitário.

Este aparelho vai ser usado exclusivamente para fins académicos e de treino de operadores de aceleradores linear ao nível da região.

Alexandre Maphossa adiantou que a instalação deste aparelho no solo pátrio vai permitir a abertura de um curso, há muito desejado pela Universidade Eduardo Mondlane, que é o Mestrado em Física Médica.

Para o efeito, esteve em Maputo, semana passada, uma delegação austríaca com objectivo de delinear o último passo para a instalação desta máquina no território nacional assim como negociar a capacitação de quadros locais sobre formas de utilização do aparelho.

O coordenador falou ainda da existência de um projecto de protecção radioactiva enquadrado neste programa, do qual, segundo ele, três estudantes estão a ser formados no grau de mestrado e um no grau de doutoramento em Física Médica.

No programa sobre HIV/Sida, destaque vai para o ensaio clínico para a vacina do HIV e saúde materna.
O coordenador do projecto, Sibone Mocumbi, explicou que já foi preparada uma equipa de estudantes que vai estar à frente do processo de testagem da vacina.

Por outro lado, já foram realizados estudos de incidência do HIV e de outras doenças de transmissão sexual, tendo sido posteriormente recolhidos dados para análise. Actualmente, decorrem ensaios clínicos da vacina.

Quanto à saúde materno-infantil, a fonte explicou estar em curso um estudo sobre as principais razões da mortalidade e de morbilidade nas áreas de Maputo cidade e província. Este estudo tem a ver, essencialmente, com as principais causas da mortalidade das mulheres grávidas e principais doenças e identificar a percentagem que o HIV/Sida representa nesse grupo de mulheres.

Uma outra linha de estudo pretende revelar a capacidade de formação e execução de técnicas cirúrgicas, como cesarianas feitas por técnicos de saúde, que não sendo médicos, receberam uma formação para o efeito.

Sibone Mocumbi disse ainda que esta acção surge tendo em conta que, mesmo dentro de 10 a 20 anos, o país não terá médicos obstetras suficientes para cobrir as necessidades do país, daí a aposta na formação de moçambicanos que possam executar operações para resolver as situações de emergência mais comuns.

A fonte garantiu que continuará a aposta na formação de vários técnicos moçambicanos para os diversos níveis no ensino superior, para além de capacitação de outros.

Noticias