Destaque Hunter Biden interrogado por republicanos em processo de ‘impeachment’ contra Joe Biden

Hunter Biden interrogado por republicanos em processo de ‘impeachment’ contra Joe Biden

Receba atualizações de trabalhos do MMO Emprego

Siga o nosso canal do Whatsapp para receber atualizações diárias anúncios de vagas.

Clique aqui para seguir

Hunter Biden, filho do Presidente dos Estados Unidos, foi convocado na quarta-feira para depor perante os congressistas republicanos que lideram uma investigação de destituição contra Joe Biden, acusado de alegadamente mentir sobre assuntos relacionados com a sua família.

Esta investigação é contestada pelos democratas, que a consideram uma manobra política num ano eleitoral.

O processo de destituição (‘impeachment’, em inglês) tem poucas hipóteses de sucesso.

Os republicanos alegam, até agora sem provas conclusivas, que Joe Biden usou a sua influência enquanto vice-presidente de Barack Obama (2009-2017) para permitir que a sua família se envolvesse em negócios duvidosos na Ucrânia e na China.

Questionado no Congresso sobre uma série de transações financeiras que os republicanos afirmam comprometer o seu pai, Hunter Biden negou veementemente.

“Em nenhum momento envolvi o meu pai nos meus assuntos”, enfatizou Hunter Biden à comissão, conforme uma cópia do seu depoimento.

“Nem quando eu era advogado, nem nos meus investimentos ou negócios aqui ou no estrangeiro, nem como membro de conselho, nem como artista. Nunca”, afirmou.

Na semana passada, o irmão do presidente dos EUA, James Biden, afirmou que Joe Biden “nunca teve qualquer envolvimento” nos negócios familiares.

“Tive uma carreira de 50 anos numa variedade de empreendimentos comerciais. Joe Biden nunca teve qualquer envolvimento ou interesse financeiro direto ou indireto nessas atividades. Nenhum!”, declarou James Biden numa declaração aos legisladores obtida pela agência noticiosa Associated Press (AP).

O filho mais novo do Presidente, um empresário agora dedicado à pintura, tem sido alvo de suspeitas ao longo dos anos por parte dos republicanos.

No entanto, a investigação republicana foi enfraquecida pela acusação, em meados de fevereiro, de Alexander Smirnov, um ex-informador do FBI processado por mentir e fabricar falsas acusações de corrupção contra os Biden.

Smirnov, israelo-americano de 43 anos, alegou que Joe e Hunter Biden receberam subornos de cinco milhões de dólares cada para proteger uma empresa de gás ucraniana, a Burisma, de acusações, uma história inventada e documentada pela acusação.

O ex-informador admitiu fornecer informações falsas, provenientes dos serviços de inteligência russos, com o intuito de incriminar a família Biden.

A investigação judicial em curso sobre o filho do Presidente não conseguiu fundamentar as acusações dos republicanos, destacando sobretudo os seus problemas com dependência de drogas e álcool, que Hunter Biden diz ter superado, e resultou em duas acusações contra si: uma por evasão fiscal e outra por posse ilegal de arma de fogo.