Três agentes da polícia de Colorado, nos Estados Unidos, partiram o braço a uma idosa de 73 anos com demência, durante uma detenção violenta.

As três agentes da polícia de esquadra do Colorado, que estiveram envolvidos na detenção violenta de uma idosa com demência, entregaram as suas demissões na passada sexta-feira.

A detenção, sublinhe-se, ocorreu a 26 de junho de 2020, depois de Karen Garner ter, alegadamente, roubado produtos no valor de 13 dólares (cerca de 10 euros) de uma loja local. O vídeo da detenção, que foi entretanto divulgado e que originou uma investigação aos agentes, mostra um polícia a empurrar a mulher de 73 anos de idade para o chão e a algemá-la.

Karen Garner, que sofre de demência e pesa menos de 40 quilos, ficou com várias lesões na sequência da detenção: uma fratura no braço, o pulso distendido e o ombro deslocado.

Os três agentes da Divisão de Polícia de Loveland podem ser vistos no vídeo, que dura mais de uma hora, a rever as imagens das câmaras corporais, na esquadra, enquanto se riem e congratulam pela detenção.

Na sexta-feira, Austin Hopp e Daria Jalali, dois agentes envolvidos na detenção, assim como Tyler Blackett, que estava na esquadra e que colocou Karen numa cela sem que lhe fossem prestados cuidados médicos, entregaram as suas demissões da Divisão de Polícia de Loveland. Um outro agente, Philip Metzler, que supervisionava os dois primeiros agentes, foi colocado sob licença administrativa.

A família de Karen Garner apresentou um processo contra a cidade e contra os três agentes em abril. Foi incluída uma queixa complementar com os nomes de mais agentes que viram o sucedido e não acionaram profissionais de saúde.