Mais quatro jogadores foram chamados por Luís Gonçalves para os trabalhos de preparação da Selecção Nacional de Futebol. Estas chamadas pendem-se com ausências confirmadas de jogadores estrangeiros e com casos positivos registados em jogadores que actuam internamente, que segunda-feira realizaram testes da Covid-19.

A preparação do combinado nacional de futebol para os dois embates deste mês de Março, nomeadamente diante do Ruanda e Cabo Verde, de qualificação ao CAN dos Camarões, arrancou conturbada, com casos positivos de jogadores internos e ausências de “estrangeiros”, que deixam Luís Gonçalves preocupado.

Depois dos testes de despiste da Covid-19 realizados nos jogadores, que actuam internamente e convocados para integrarem a preparação dos Mambas, esta segunda-feira, os resultados não agradarão a equipa técnica. Três, dos 14 jogadores do Moçambola, acusaram positivo e ficam por terra nesta dupla empreitada, o que obrigou o seleccionador nacional a chamar mais quatro para cerrar esta adversidade.

A Federação Moçambicana de Futebol não anunciou os nomes dos jogadores infectados, mas segundo fonte do organismo que gere o futebol moçambicano, os mesmos foram dispensados para cumprirem o isolamento obrigatório.

Assim, Luís Gonçalves chamou dois defesas, um médio e um avançado para se juntarem aos Mambas, nomeadamente Chico Mioche (defesa) e Nelson (médio), ambos do Costa do Sol, e Fidel (defesa) e Melque (avançado), da Associação Black Bulls, que já trabalham desde ontem com o restante grupo.

Ainda a contar com os três jogadores infectados, uma vez que não foram identificados, e com mais estes quatro reforços, das equipas que actuam no Moçambola os “canarinhos” passam a contribuir com seis jogadores nos Mambas, para além do seu médico chefe, seguido pela União Desportiva de Songo, com cinco jogadores, Ferroviário de Maputo, com quatro, Black Bulls, com dois e, Ferroviário da Beira, com apenas um jogador.