Duas mulheres disfarçaram-se de idosas para receberem a vacina da Covid-19 mais cedo e conseguiram enganar enfermeiras e autoridades com o disfarce.

O esquema, detetado em Orlando, no estado norte-americano da Florida, só foi descoberto quando as duas ‘falsas idosas’ se preparavam para receber a segunda dose do fármaco.

Na fila para receber a segunda dose, a polícia surpreendeu as duas mulheres, que afinal tinham 34 e 44 anos, e retirou-as do local, estando a investigar o caso. Segundo o plano de vacinação nos EUA, naquele estado apenas os idosos com mais de 65 anos e os profissionais de saúde ou lares são prioritários para receber a vacina contra o coronavírus.

As autoridades de saúde estão agora a tentar perceber como foi possível que as duas mulheres tenham conseguido receber a primeira dose. “Detetámos que duas mulheres se vestiram de cidadãs idosas para receberem a vacina. Mas não sabemos como isto aconteceu. Elas tinham perucas, chapéus, luvas e óculos. Tinham o ‘cenário’ todo””, explica ao Miami Herald o diretor de Saúde de Orange County, o Dr. Paul Rino.

Segundo as autoridades, as mulheres foram ‘apanhadas’ após repararem que os nomes coincidiam com os seus nomes verdadeiros, mas as datas de nascimento não correspondiam aos registos. Em cima da mesa está a hipótese de as suspeitas terem usado uma identificação falsa, com o mesmo nome mas datas de nascimento diferentes.

O Dr. Paul Rino adianta que não é o primeiro caso detetado de uma fraude deste tipo no processo de vacinação naquela região. Segundo o médico, um homem que tinha o mesmo nome que o pai tentou fazer-se passar pelo idoso para poder ser vacinado.