O Presidente deposto das Honduras, Manuel Zelaya, denunciou na sexta-feira (27), que tinha sido detido “injustamente” no Aeroporto Internacional de Toncontín, em Tegucigalpa, quando pretendia viajar para o México com 18.000 dólares, dinheiro que assegura que não lhe pertence.

“Comunico que fui injustamente retido no aeroporto de Toncontín quando me preparava para viajar para o Seminário de PT no México. Em causa, uma bolsa de dinheiro de 18.000 dólares [pouco mais de 15.000 euros], que não me pertencia. Agora na presença de um fiscal”, escreveu Zelaya na rede social Twitter.

“Como se me ocorresse levar 18.000 dólares”, sublinhou o ex-governante, acrescentado que foi intercetado pelas autoridades assim que o dinheiro foi detetado no raio-X do aeroporto.

Reafirmando que o dinheiro não lhe pertencia, Zelaya instou as autoridades hondurenhas a investigarem o responsável pela alegada plantação do dinheiro.

A legislação do país permite aos cidadãos transportarem até 10.000 dólares, comprovando sempre a sua procedência.