Um polícia de San Jose, nas Filipinas, morreu na segunda-feira durante uma operação contra as lutas ilegais de galos, na qual estava como agente infiltrado. O tenente Christian Bolok foi atacado por um dos galos, que estava ‘armado’ com lâminas nas garras, e acabou por não sobreviver aos ferimentos.

As lutas de galos são uma atividade popular nas Filipinas, normalmente envolvendo apostas. São aplicadas esporas, lâminas e outros objetos cortantes e perfurantes nos animais, que lutam até à morte numa arena. Com a pandemia de Covid-19, as autoridades filipinas baniram todos as atividades e eventos de cariz cultural ou desportivo, incluindo as lutas de galos, e têm montado grandes operações para combater os eventos desta natureza que decorrem de forma ilegal e escondida.

O agente Bolok estava numa destas lutas ilegais de galos com o objetivo de recolher provas da atividade ilegal e pegou num dos galos, com o objetivo de o confiscar. Quando o fez, o animal agitou-se e, com a lâmina que tinha numa garra, cortou o polícia numa perna. O golpe atingiu a artéria femoral e, em poucos minutos, o agente sangrou até à morte.

O polícia ainda foi levado ao hospital local, onde foi declarada a morte. “É com o coração pesado que anuncio que perdemos um dos nossos irmãos, que sacrificou a própria vida em nome do serviço. A Polícia Nacional das Filipinas chora a morte trágica do tenente Bolok e expressa as suas sentidas condolências à família e amigos. Foi um infortúnio, um acidente de má sorte, que eu não consigo explicar”, disse à Frace-Press o coronel Arnel Apud, chefe da polícia local.

Segundo as autoridades, a operação terminou com três pessoas detidas e dois galos apreendidos.