Os russos começaram na quinta-feira (25) a votar as alterações à Constituição promovida pelo Kremlin. Se forem aprovadas, as emendas irão permitir a Vladimir Putin continuar como Presidente do país após o fim do seu segundo mandato, que termina em 2024.

A correspondente da Euronews, Galina Polonskaya, diz que nas mesas de voto, em Moscovo, podia-se ver filas de pessoas à espera para votar desde as primeiras horas da manhã, todas respeitando o distanciamento social e as marcações no chão. Assim que um grupo de pessoas acabava de votar, as mesas de voto eram logo desinfetadas.

Tem havido uma grande afluência às urnas e os russos acreditam que estão a decidir algo importante para o futuro do país.

Victoria Gavrilova, residente em Petropavlovsk-Kamchatsky, diz que “quer acreditar num futuro brilhante, que os nossos filhos serão protegidos, que alcançaremos a estabilidade. A votação é importante, porque o futuro da Rússia está em jogo”.

Alguns russos lamentam não poder votar cada uma das emendas constitucionais e ter de aprovar ou rejeitar todas as alterações em bloco.

A votação vai prolongar-se até 1 de julho para que se evitem multidões junto aos locais de voto e se minimize o risco de contágio do novo coronavírus.