“Perdemos a batalha pela independência económica devida a escolhas erradas de governação”, afirmou Daviz Simango, numa declaração aos jornalistas, a propósito da data.

Simango falava na cidade da Beiram, centro do país, onde preside ao município.

Moçambique possui recursos naturais em abundância, mas a riqueza ainda não se refletiu nos bolsos dos cidadãos, assinalou.

“Pode advogar-se um eventual crescimento da nossa economia, mas, na verdade, não tem impacto na população, simplesmente devido à exclusão, falta de políticas públicas e investimentos focados na inclusão social e distribuição da riqueza”, referiu.

Daviz Simango considerou prioritária a produção de alimentos para garantir a segurança alimentar da população, anda por alcançar.

O líder do MDM criticou ainda a gestão do dossiê da paz e reconciliação, que disse estarem longe de alcançadas, devido à exclusão de novos intervenientes políticos e da sociedade.

“Um Estado que tolera e até fomenta a corrupção é contrário à paz e à reconciliação nacional. É um Estado propenso a conflitos sociais. Um Estado partidarizado fomenta guerras e intrigas”, sublinhou.