Três falsos moto-taxistas e violadores sexuais de mulheres foram condenados pela quinta secção do Tribunal Judicial de Sofala a 18 anos e 4 meses de prisão efectiva.

Os réus ora condenados nesta quarta-feira a 18 anos de prisão efectiva fazem parte de um grupo de malfeitores que, com os seus métodos de agir, aterrorizou os munícipes da cidade da Beira. Em determinados momentos os indivíduos em número de 4, fazendo-se passar de moto-taxistas, enganaram mulheres que procuravam por transporte e a meio do caminho em locais escuros e isolados eram agredidas com recurso a instrumentos contundentes e violadas sexualmente e arrancadas seus pertences. Ainda de acordo com o tribunal, o mesmo grupo portando uma arma de fogo teria tentado roubar a viatura de uma cidadã ao passarem-se de clientes que pretendia comprar aquele meio circulante.

Para o tribunal que condenou os 3 réus a 18 anos de prisão maior não há dúvidas de que o trio cometeu os crimes de que são acusados.

A defesa de um dos réus condenado a 18 anos de prisão maior, afirma que não tem nada a contestar sobre a decisão tomada pelo tribunal.

A assistência dos ofendidos que não quis gravar entrevista admite que vai recorrer da sentença por achar que os 18 anos de prisão efectiva que o tribunal aplicou os réus ser pouco uma vez que os mesmos vieram da prática de uma sequência crimes violentos e outros com recurso a arma de fogo.