Um promotor britânico lançou na quinta-feira (16) uma nova tentativa de confiscar dezenas de milhões de libras roubadas de um estado produtor de petróleo na Nigéria por seu ex-governador, que foi condenado por lavagem de dinheiro na Grã-Bretanha.

James Ibori, que foi governador do estado de Delta de 1999 a 2007, se declarou culpado no Tribunal da Coroa de Southwark, em Londres, em 2012, por 10 acusações de fraude e lavagem de dinheiro. Ele recebeu uma sentença de 13 anos de prisão.

O caso foi um exemplo raro de um político nigeriano proeminente sendo punido por sua participação na corrupção endêmica que assola o país mais populoso da África há décadas. Desde então, vários outros ex-governadores da Nigéria foram condenados em seu próprio país.

Tendo cumprido metade de sua sentença em detenção pré e pós-julgamento, Ibori foi libertado da prisão em dezembro de 2016 e agora está de volta à Nigéria.

Em 2013, foi feita uma primeira tentativa na Grã-Bretanha de confiscar seus bens, mas foi abortada após três semanas de audiências por causa de disputas legais não resolvidas.

Então o processo de confisco ficou parado por vários anos, enquanto Ibori e vários de seus associados, condenados por seu papel na lavagem de dinheiro, apelaram sem sucesso contra suas condenações.

Reiniciando o processo em Southwark na quinta-feira, o advogado de acusação Jonathan Kinnear começou a listar ativos que a Grã-Bretanha procura confiscar de Ibori e retornar aos fundos públicos nigerianos.

O valor total dos rendimentos conhecidos de seus crimes chegou a 117 milhões de libras (153 milhões de dólares), disse ele. No entanto, apenas uma parte dessa soma provavelmente será recuperável.

Durante seu período no cargo, Ibori, 57 anos, acumulou um portfólio de propriedades de luxo na Nigéria, Londres, Washington, Houston e Joanesburgo. Ele viajou por todo o mundo, ficando nos hotéis mais caros e gastando muito em lojas de luxo.

Seu estilo de vida durante esses anos estava muito longe de seu começo modesto na vida. Quando jovem, ele havia trabalhado como assistente de loja em uma filial da cadeia de reformas domésticas Wickes, em Londres, onde foi pego tentando roubar a loja e foi condenado por roubo.

A Agência Nacional de Crimes da Grã-Bretanha estima que cerca de 1 bilhão de libras em dinheiro sujo se mova para dentro ou através do Reino Unido a cada ano. Ibori é um dos únicos beneficiários finais de tais práticas a serem condenados.

O caso deve durar cerca de quatro semanas.

Reuters