Kevon Watkins de 16 anos estrangulou a irmã até à morte após a mãe ter desligado a internet móvel. O jovem foi condenado em 2019 a prisão perpétua.

O agressor tinha uma ligação forte com a irmã mais velha que se encontrava já noiva e com um filho de três anos. Kevon era um amante de videojogos e, um dia, quando percebeu que a internet móvel estava lenta decidiu mudar a palavra passe para que apenas ele tivesse acesso à mesma.

No momento em que a mãe descobriu o que o jovem tinha feito, decidiu desligar o router de casa e colocá-lo no seu quarto. Kevon foi tirar satisfações e, no momento em que a irmã de 20 anos se apercebeu da discussão foi em auxílio da mãe acabando por entrar numa luta com o irmão.

Durante a rixa, Kevin estrangulou a irmã com o braço em redor do seu pescoço. O irmão mais novo de 13 anos ligou para o 911 – linha de emergência local – e pediu que estes se deslocassem ao local para auxiliar a irmã.

Latoya ainda tentou separar os filhos mas Kevon ameaçou bater na mãe se o fizesse. Após a chegada das autoridades Kevon Watkins largou a irmã e esta foi levada para o hospital onde acabou por falecer na manhã seguinte, a 3 de Fevereiro de 2018.

O jovem foi levado para um centro de detenção juvenil até atingir a maioridade para, posteriormente, ser julgado. O julgamento acabou por acontecer em 2019 e, durante a audiência Kevon explicou que o seu objectivo nunca foi matar a irmã e que não fazia ideia do motivo pelo qual não a largou.

Durante a audiência, Latoya, mãe das três crianças envolvidas, declarou que Kevon sempre teve ataques esporádicos de raiva mas nenhum deles semelhante ao que ocorreu no dia da tragédia. O jovem de, agora 18 anos, foi condenado a prisão perpétua.

CM