Uma cidadã está detida nas celas do comando distrital da Polícia da República de Moçambique (PRM), em Mossurize, na província de Manica, indiciada de ter morto a filha da rival, movida por ciúmes.

Trata-se de Elisa Wache, de 42 anos de idade, que se envolvera antes numa rixa com a sua rival, cujo nome não foi revelado.
Na sequência do desentendimento havido, segundo o porta-voz da PRM em Manica, Mateus Mindú, a indiciada asfixiou a filha da rival e de seguida embrulhou o corpo  com uma rede mosquiteira e lançou no rio, recorrendo a uma pedra para afundar o corpo da menina na água.

Falando ontem (03), em conferência de imprensa havida em Chimoio, a capital provincial, sobre os acontecimentos do fim-de-semana, Mindú explicou que a mulher já se encontra detida para responsabilização criminal.

“Do trabalho feito constatamos que as duas esposas viviam num ambiente de muita discussão. Movidas por ciúme, uma aproveitou-se da ausência da outra para matar a criança e, para ocultar o corpo, embrulhou-o com rede mosquiteira e atirou ao rio. O corpo ficou submerso na água até que a PRM conseguiu localizar o cadáver”, explicou Mindú.

No distrito de Machaze, a sul da província, a PRM neutralizou um outro cidadão indiciado no roubo de motorizadas. Durante a sua neutralização, a corporação recuperou algumas motorizadas e outros bens roubados naquele distrito e noutras zonas circunvizinhas.

“Não registamos nenhum caso de acidente viação. A Polícia de Trânsito está no terreno a trabalhar na sensibilização dos automobilistas para respeitarem as regras do código de estrada para evitar ocorrência de acidentes”, disse Mindú, acrescentando que durante as últimas 72 horas a PRM não registou nenhum outro caso criminal de relevância.

Jornal Notícias