Pelo menos 17 pessoas morreram, entre as quais 15 integrantes do Daesh e dois agentes de segurança tajiques, após um ataque do grupo extremista a um posto de fronteira do Tajiquistão, informou o governo local.

O ataque ocorreu às 03h23 contra uma unidade de guardas de fronteira tajique, próximo da fronteira com o Uzbequistão, cerca de cinquenta quilómetros a sudoeste da capital Duchambé.

Além dos quinze homens armados “neutralizados”, um polícia e um soldado morreram, segundo o Ministério do Interior do Tajiquistão, que relatou ainda quatro prisões de membros do Daesh.

“A investigação e o interrogatório das pessoas detidas estabeleceram que o grupo terrorista armado (…) entrou, a 3 de Novembro de 2019, no Tajiquistão ilegalmente a partir da República Islâmica do Afeganistão”, de acordo com um comunicado dos guardas de fronteira tajiques.

“Todos (eram) membros do grupo Daesh”, disse a fonte.

Entre 3 de Novembro e ontem, o grupo extremista percorreu uma distância de aproximadamente 200 quilómetros até o local do ataque.

Quatro veículos pertencentes aos atacantes também foram destruídos, de acordo com o Ministério do Interior, que publicou fotos de carros, corpos queimados e ensanguentados numa estrada de terra, além de armas automáticas e munições.

O ataque ocorreu no Dia da Constituição, um feriado público tajique, enquanto o Presidente do Tajiquistão, Emomali Rakhmon, está na Suíça, numa visita a Europa que o levará na sexta-feira a Paris, onde encontrará o seu homólogo francês, Emmanuel Macron.

Expresso