O líder da Renamo, Ossufo Momade, distancia-se dos ataques a viaturas ao longo da EN1 e responsabiliza o Estado moçambicano e a chamada Junta Militar da Renamo dirigida por Mariano Nhongo.

Ossufo Momade diz que quando foi vítima de ameaça de morte por Nhongo, em nenhum momento o Estado moçambicano reagiu.

Segundo O País, as declarações de Ossufo Momade aconteceram em Quelimane depois de desembarcar no sábado no aeródromo local.

Momade está na Zambézia para agradecer os membros e simpatizantes da Renamo pelo trabalho desenvolvido a quando das eleições do dia 15 de Outubro.

Folha de Maputo