O Estado moçambicano investiu cerca de 349.4 milhões de dólares na importação de automóveis, contra USD 156.2 milhões em medicamentos, indica o anuário estatístico de 2018, a que “O País” teve acesso.

Os hospitais públicos em Moçambique debatem-se com a exiguidade de medicamentos, com as prateleiras das farmácias na maioria das unidades sanitárias sob gestão do Estado quase vazia (só não falta paracetamol).

Oficialmente, as autoridades da saúde tem vindo a atirar a culpa aos funcionários desonestos que esvaziam os armazéns para alimentar o “mercado paralelo” de venda de medicamentos do Sistema Nacional de Saúde (SNS).

Entretanto, o anuário estatístico de 2018, compilado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a cuja cópia está em poder do “O País”, revela que, apesar do crónico défice de medicamentos nos hospitais públicos, o Estado gastou mais na compra de combustíveis, automóveis, por exemplo.

Só para se ter uma ideia, o Estado moçambicano investiu apenas 156.2 milhões de dólares com importação de medicamentos no ano passado, contra cerca de 349.4 milhões de dólares na compra de automóveis!

No ranking dos gastos com produtos adquiridos no exterior, os fármacos ocuparam um “modesto” sexto lugar. O top 5 é liderado por maquinarias (1.1 bilião de dólares), seguindo-se a importação do diesel com um USD 669.7 milhões, cereais (USD 457.3 milhões) e automóveis (349.4 milhões de dólares).

No global as importações totalizaram 6.9 mil milhões de dólares, contra USD 5.7 mil milhões em 2017. Já as exportações situaram-se nos cinco mil milhões de dólares em 2018, um ligeiro aumento em relação ao ano anterior (USD 4.7 mil milhões em 2017).

De acordo ainda com dados do Instituto Nacional de Estatística, a Índia foi o principal destino das exportações moçambicanas em 2018, ao absorver o equivalente a 1.369 milhões de dólares.

Completam o top 5, os Países Baixos, com uma quota de 17,38% (871 milhões de dólares), África do Sul com 12,24% (613 milhões de dólares), China com 4,78% (239 milhões de dólares) e Hong Kong com 4,59% (229 milhões de dólares).

Já no que se refere aos principais mercados das compras moçambicanas no exterior, a vizinha África do Sul lidera destacada com uma quota de 27,79% e um valor monetário de 1.929 milhões de dólares, a que se segue a China, com 11,51% e 799 milhões de dólares, os Emirados Árabes Unidos com 7,47% e 518 milhões de dólares, os Países Baixos com 7,46% e 518 milhões de dólares e a Índia com 7,06% e 490 milhões de dólares.

O País