O ministro das Relações Exteriores de Israel, Israel Katz, ficou “horrorizado” e condenou “fortemente” o incidente.

“Israel está comprometido em manter a segurança de todas as missões diplomáticas no seu território”, acrescentou.

A delegação da UE naquele país já classificou o incidente como “deplorável”.

“Hoje, a entrada da delegação da UE foi vandalizada com ‘slogans’ ameaçadores nas paredes. Nenhum dos meus colegas estava no escritório desde que fechámos no domingo”, afirmou o embaixador da UE, Emanuele Giaufret, no Twitter, onde surge ao lado de uma fotografia com os ‘grafiti’.

Para além da mensagem de que “o dinheiro alemão mata judeus”, nas paredes da delegação da UE localizada em Ramat Gan, na região metropolitana de Tel Aviv, foi também escrito, a vermelho, o recado “UE fora”.

“Continuaremos a fazer o nosso trabalho”, assegurou o embaixador Emanuele Giaufret.

A polícia israelita abriu um processo de investigação para identificar os autores dos actos de vandalismo.

“Espero que os culpados sejam levados à justiça rapidamente”, disse o ministro Israel Katz.

Lusa