O primeiro sarcófago de Chernobyl está em risco de ruir. A estrutura está coberta por uma nova cúpula, que permite que as 200 toneladas de material radioativo não serão libertadas para a atmosfera, mesmo que o sarcófago interior se desmorone.

A construção do primeiro sarcófago foi feita à pressa para conter rapidamente a radiação, depois da tragédia na central nuclear de Chernobyl.

A estrutura foi construída com 400 metros cúbicos de cimento e sete milhões de quilos de aço, mas as juntas de ligação foram mal seladas. Há também aberturas no tecto que permitiram infiltrações de água, o que originou corrosão.

Para que a primeira cobertura não desmorone, será necessário proceder ao desmantelamento de ambas estruturas, pelo que os trabalhos vão custar quase 70 milhões de euros e devem estar concluídos em 2023.

msn