Era muitas vezes apontado como o herdeiro directo de Osama Bin Laden, o filho predilecto, o homem que ia fazer renascer a al-Qaeda. Mas, ao que tudo indica, Hamza bin Laden foi morto numa operação rodeada do maior secretismo, anunciaram o jornal New York Times e a estação NBC.

Não se sabe exactamente onde, nem quando, tendo sido apenas avançado que terá ocorrido no início do mandato de Donald Trump.

Após os Estados Unidos anunciarem uma recompensa de 1 milhão de dólares por informações que levassem à sua captura – na sequência de ameaças proferidas contra as cidades de Washington, Londres, Paris e Telavive – a Arábia Saudita retirou-lhe a cidadania.

Vários documentos divulgados em 2015 revelam que Osama bin Laden pretendia que Hamza o sucedesse na jihad contra o Ocidente.

Euronews