Um pai indonésio decidiu que o filho se deveria chamar Google, na esperança de que se torne tão “útil” quanto o motor de busca.

Ella Karin e Andi Cahya Saputra, naturais da província de Java Ocidental, na ilha indonésia de Java, foram pais de Google em novembro de 2018, mas só agora é conhecida a sua peculiar história, noticiada pelo Mirror.

Ella, de 27 anos, não gostou da ideia ao início, assim como a restante família, tendo demorado algum tempo até se acostumarem ao nome. Os meios locais reportaram, de acordo com o Mirror, que Ella dizia às pessoas que o filho se chamava “menino”.

Andi, de 31 anos, sempre teve a certeza do nome que escolhera. O homem sublinha que o nome tem um significado importante porque espera que o seu filho “ajude” muitas pessoas e seja “uma pessoa útil”.

Mais ainda: Google não tem sobrenome. A razão? Andi explica que um sobrenome iria diluir “a essência” do seu nome.

Folha de Maputo