O presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, disse na quinta-feira (07), em Montevidéu, que a Venezuela vive um dilema entre paz e guerra.

A afirmação ocorreu durante entrevista colectiva sobre a reunião do Grupo de Contato Internacional, que engloba integrantes das Américas e da Europa, em busca de um acordo para o fim do conflito venezuelano.

“Vamos ser muito claros: o maior dilema que a Venezuela tem hoje é entre paz e a guerra”, disse Vázquez, ressaltando que a reunião foi convocada pelo Uruguai, pelo México e pela União Europeia (UE).

A alta representante para os Negócios Estrangeiros e a Segurança da União Europeia, Federica Mogherini, destacou que é necessário “evitar a violência interna e a intervenção externa e abrir caminho para um processo político credível que leve a eleições antecipadas”.

Segundo Federica Mogherini, o destino da Venezuela deve ser decidido pela população. De acordo com ela, o grupo se colocou à disposição para mediação direta ou por meio de negociação entre os grupos de Nicolás Maduro e Juan Guaidó, que se autoproclamou no último dia 23 presidente interino do país.

Participam da reunião representantes da União Europeia, França, Alemanha, Itália, Holanda, Portugal, Espanha, Suécia, Reino Unido, Bolívia, Costa Rica, Equador, México e Uruguai, além de integrantes da Comunidade do Caribe.

México e Uruguai defendem o diálogo com o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, enquanto Brasil, a maioria dos integrantes do Grupo de Lima, várias nações da Europa e os Estados Unidos reconhecem como legítimo o interino Juan Guaidó.

Metrópoles