O Banco de Moçambique (BM) deve à Electricidade de Moçambique (EDM) mais de 36 milhões de meticais relativos ao fornecimento de energia eléctrica e a bens e serviços adquiridos durante o ano de 2017.

Analisando as Demonstrações Financeiras do exercício findo a 31 de Dezembro de 2017 o @Verdade apurou que o banco central não pagou o consumo de energia no montante de 20.604.177 meticais.

Embora o BM tenha refutado dever qualquer montante à EDM o @Verdade entende que este montante refere-se ao consumo de energia dos novos edifícios do Banco de Moçambique na baixa da cidade de Maputo, inaugurados em Julho de 2017, que compreendem um silo de automóveis, a torre de escritórios, e a sede que têm um consumo médio mensal de cerca de 3 megawatts.

Paradoxalmente estes novíssimos edifícios do Banco de Moçambique, que custaram pelo menos 300 milhões de dólares norte-americanos, foram construídos sem sequer pensar-se no uso de energias alternativas, como a solar.

Adicionalmente o @Verdade apurou que o BM consta da relação de “Devedores diversos” da eléctrica estatal com uma outra dívida no valor de 15.501.412 meticais.

EDM não se dignou a responder

Questionada pelo @Verdade a instituição esclareceu que: “Na escrita do Banco de Moçambique, incluindo as demonstrações financeiras do exercício de 2017, não se encontra inscrita nenhuma dívida à favor da empresa Electricidade de Moçambique”. “As boas práticas contabilísticas e de auditoria recomendam a confirmação de saldos a inscrever nas demonstrações financeiras de qualquer instituição ou empresa.

Relativamente à empresa EDM ou seus auditores, o Banco de Moçambique não recebeu nenhuma carta solicitando a confirmação de saldos à favor da empresa”, acrescentou o BM no seu esclarecimento ao @Verdade.

A instituição dirigida por Rogério Zandamela sugeriu ainda na sua resposta que “as questões apresentadas pelo Jornal “A Verdade”, sendo relativas às demonstrações financeiras da empresa EDM, serão melhor esclarecidas pela mesma empresa (EDM), competindo ao Banco de Moçambique esclarecer que a relação entre o Banco de Moçambique e a empresa EDM é regulada por via de contrato, onde estão acauteladas as responsabilidades de cada parte. Entre as responsabilidades do BM consta o pagamento dos consumos de energia que vem sendo efectuados regularmente, nos termos do mesmo contrato”.

O @Verdade questionou formalmente à EDM porém passadas três semanas a instituição não se dignou a prestar esclarecimentos, mas o facto é que a dívidas estão registadas nas suas Demonstrações Financeiras de 2017 auditadas e aprovadas pelo Conselho de Administração dirigido por Mateus Magala.

@Verdade