Um modelo inglês foi assassinado por outro modelo depois de uma discussão nas redes sociais por causa de uma rapariga.

Harry Uzoka tinha 25 anos e morreu na calçada em frente a sua casa em Sheper’s Bush, no Reino Unido, depois de ter sido esfaqueado no peito, segundo o The Thelegraph.

Tudo começou em Janeiro quando Harry chamou “falso” a George Koh, um modelo de 24 anos, na sua conta do Instagram. Os dois combinaram encontrar-se depois de o modelo ter descoberto que George se tinha envolvido com a sua namorada, Ruby Campbell, uma modelo londrina.

Segundo o júri que começou agora a acompanhar o caso, o confronto foi através do WhatsApp e do Instagram. Harry chegou acompanhado de um amigo e levava consigo barras de halteres, enquanto George levava três armas brancas, também acompanhado de um amigo.

“O desejo combinado de sobrecarregar e causar ferimentos graves é óbvio a partir das suas acções combinadas naquela tarde. Eles agiram como uma equipa porque é exatamente isso que eles eram”, disse o procurador Richard Horwell, acrescentando que “não é muito difícil adivinhar quem ia ganhar”. “George Koh também era modelo, mas não tão bem sucedido como Harry, e parecia que o Harry estava zangado porque George tentava copiá-lo”, acrescentou o procurador.

Segundo o tribunal, os dois amigos ainda tentaram fugir, mas Harry não conseguiu e acabou por ser esfaqueado no peito. De seguida, os suspeitos terão apanhado um táxi e George tentou apagar a sua conta nas redes sociais e pediu à operadora para alterar o seu número de telemóvel.

Três dias depois, George entregou-se à polícia dizendo que “não tinha intenção de esfaquear Harry no peito” e que agiu “em legítima defesa” por ter medo que o modelo o matasse “ou causasse ferimentos graves”. “Durante a luta com o Harry, ele atirou-me ao chão. Tinha uma vara de metal na mão e atacou-me”, explicou.

No entanto, esta declaração foi considerada pelo procurador como “uma mentira na tentativa de apoiar uma defesa inventada”. “Estes homens foram para uma luta armados com facas. Eles claramente pretendiam utilizá-las e fizeram isso. E como resultado, Harry Uzoka perdeu a vida”, concluiu. O julgamento dos dois jovens vai continuar.

Harry Uzoka chegou a trabalhar para marcas como a Zara e a Mercedes.

Observador