Um condutor da Uber foi condenado a 22 anos de pena de prisão por ter violado uma mulher que solicitou o serviço de transporte de passageiros, na Florida, depois de um concerto.

Gary Kitchings, de 58 anos de idade, ouviu a sentença esta quarta-feira, num tribunal de Palm Beach, diz o Mirror, depois de ter sido considerado culpado de três crimes de agressão sexual e sequestro, em Março.

Kitchings, antigo professor, trabalhava como condutor da Uber em regime part-time. Em maio, transportou a mulher de 38 anos de idade desde um festival de música até sua casa, em Palm Beach.

Durante o trajecto, começou a tentar tocar na passageira, que tentou sair da viatura em andamento mas sem sucesso. Com as portas trancadas, Kitchings disse à mulher tinha uma arma e obrigou-a a praticar actos sexuais no carro e, depois, em sua casa.

A defesa do acusado alegava que as relações sexuais tinham sido consentidas e que o “único crime” que tinha cometido era o facto de ter “traído a sua esposa”.

Notícias ao Minuto