Um vereador da cidade de Igarassu, na área metropolitana de Recife, capital do estado brasileiro de Pernambuco, foi executado a tiro na quarta-feira, depois de ter sido raptado, tornando-se mais uma vítima da cada vez mais sangrenta cena política do Brasil.

Numa acção rápida, grupos de elite da polícia de Pernambuco prenderam horas depois três suspeitos do crime, dois homens e uma mulher. Luiz Cavalcanti Passos, de 75 anos, que já foi presidente da Câmara Municipal local, foi raptado em Igarassu perto das 8 horas da manhã, quando saiu de carro da sua casa e, alguns metros adiante, parou a sua Toyota Hilux para falar com um amigo.

Um outro carro, um Hyundai HB20 que depois se soube ter a matrícula clonada,  atravessou-se na frente do do vereador, dois homens saíram e forçaram o político e o motorista dele a entrar no carro dos criminosos.

O motorista foi abandonado sem ferimentos pouco depois e os raptores fugiram com o vereador. Pensando tratar-se de um rapto, forças da polícia pernambucana especializadas no combate a esse tipo de crime começaram uma varredura em estradas de toda a região e, horas depois, localizaram o carro usado pelos criminosos em Goiana, cidade da Grande Recife vizinha a Igarassu. Presos, os dois homens confessaram que tinham raptado e executado o vereador, sem no entanto avançarem o motivo, e indicaram onde tinham deixado o corpo.

No local, um ponto ermo, a polícia verificou que o veterano político tinha sido morto com uma única bala na nuca.

O vereador pernambucano engrossa assim a já vasta lista de políticos assassinados no Brasil só desde o início do ano passado.

Nesses 17 meses incompletos, mais de 41 políticos de todos os quadrantes ideológicos foram mortos, entre eles a também vereadora Marielle Franco, executada com quatro tiros na cabeça dentro do carro numa rua do centro da cidade do Rio de Janeiro em 14 de Março passado, crime que até hoje não foi solucionado.

CM