O Tribunal Judicial da cidade da Beira, na província de Sofala, condenou na sexta-feira o guarda prisional, Lucas Cobra, a oito anos de prisão, por se ter provado o envolvimento do mesmo na fuga de 17 reclusos, em Agosto do ano passado.

O colectivo de juízes da quarta secção do Tribunal Judicial da cidade da Beira, provou que Lucas Cobra introduziu uma arma do tipo pistola em princípios de Agosto do ano passado, na Cadeia Central da Beira, que depois foi usada pelos presos identificados apenas pelos nomes Manucho e Afonso, para fugirem na companhia de outros 15 presos.

Para a concretização da fuga, Lucas Cobra abriu as portas de seis celas incluindo as de máxima segurança, na manhã do dia 6 de Agosto do ano passado.

Na mesma sentença o tribunal condenou Manuel Chico, por seu envolvimento no crime. Chico era o motorista que transportaria dois dos 17 fugitivos.

Entretanto, o tribunal absolveu outros quatro guardas prisionais que no dia da fuga encontravam-se de serviço, por não ter encontrado provas que os indicie.

Entre os presos fugitivos, encontram-se os indiciados no roubo de mais de 25 milhões de meticais (413.402,48 dólares norte-americanos) no Banco Internacional de Moçambique (Millennium Bim), no ano passado.

@Verdade