Humberto Francisco Gravata, 30 anos de idade, funcionário afecto ao sector da lavandaria do Hospital Central da Beira (HCB), virou meliante de 500 filmes de Raio X (RX) e foi detido por agentes da polícia daquela unidade sanitária.

O funcionário/ladrão, que trabalha há nove anos naquela secção, foi flagrado pelas autoridades policiais quando, com o produto na sua posse, tentava transpor um dos muros de vedação daquele hospital.

Falando a propósito ao “Diário de Moçambique”, o porta-voz do HCB, Bonifácio Cebola, acredita na possibilidade de haver conivência entre Gravata e algumas clínicas privadas da urbe, uma vez tratar-se de um material de uso exclusivo de hospitais.

O interlocutor explicou que para aquele conseguir os seus intentos e introduzir-se no interior do armazém de materiais de radiologia, quebrou um dos vidros da janela deste, razão de Gravata ter sofrido muitas escoriações no corpo.

Há alguns meses, o mesmo funcionário incorreu num processo administrativo por motivos de roubos no HCB. Acreditamos que este pertence a uma quadrilha de assaltantes que com frequência tem perpetrado este tipo de desmandos no hospital. Sofremos roubo de computadores da sala de consultas há cerca de sete meses e não se conseguiu achar o ladrão, mas o modus operandi é semelhante a este último roubo”, explicou Cebola, anotando que na verdade, o indiciado, a ver aos quadradinhos nas celas da 2ª Esquadra da PRM, Ponta-Gêa, subtraiu uma caixa contendo 500 filmes de RX, que se fossem encontrados, prejudicaria cerca de 300 pacientes.

Diário de Moçambique