França apela o envolvimento de toda comunidade europeia e internacional, para o fim das guerras terroristas, que na última sexta-feira tiraram a vida de centenas de pessoas e feriram outras 350 em Paris.

A França pediu (domingo), dois dias depois dos ataques terroristas que provocaram pelo menos 130 mortos e mais de 352 feridos, a realização em Bruxelas, de uma reunião extraordinária dos ministros do Interior da União Europeia (UE), à 20 de Novembro, próxima sexta-feira, para apoiar a luta anti-terrorista.

A polícia francesa, em colaboração com as autoridades de outros países, continua enveredando esforços para identificar os terroristas, possíveis cúmplices, bem como as identidades dos terroristas que morreram durante os ataques, em conexão com o caso sete indivíduos, ainda não revelados os nomes, permanecem sobre custódia da polícia.

A união Africana já manifestou em comunicado de imprensa, publicado no final de semana em Addis Abeba, sua total reprovação pelos atentados terroristas ocorridos sexta-feira à noite em Paris, a capital francesa, e que fizeram cerca de 130 mortos e mais de 350 feridos. “A presidente da Comissão condena firmemente estes ataques odiosos e cobardes que nenhuma circunstância poderia justificar”, indignou-se Nkosazana Zuma presidente da Comissão da União Africana (CUA), apresentando as suas sinceras condolências e as da UA às famílias das vítimas e ao Governo francês e desejando rápidas melhoras aos feridos.

África Digital