O fundador da Zara, o espanhol Amancio Ortega, amanheceu na sexta-feira (23) como o homem mais rico do mundo, segundo a lista da revista “Forbes”, superando Bill Gates, fundador da Microsoft, cuja fortuna é estimada em US$ 78,1 biliões (cerca de 3.336 biliões de meticais).

O salto se deu quando as acções da Inditex — gigante do sector de vestuário, dona da varejista e controlada por Ortega — chegaram à máxima histórica de € 34 (1.452 meticais), e levaram a sua fortuna a € 71,7 biliões (cerca de 3.063 biliões de meticais), pela primeira vez acima de € 70 biliões (2.990 biliões de meticais). Foi a primeira vez que um espanhol ocupou o topo do ranking.

Porém, no fim da tarde, Gates já havia retomado o posto, graças à disparada das acções de sua companhia, que se valorizaram em 11%, aumentando a fortuna do americano e US$ 3 biliões (cerca de 128 biliões de meticais). Enquanto isso, os papéis da Inditex cedia um pouco e encerrava os negócios a € 33,7 (1.439 meticais).

Ortega, filho de um funcionário da companhia de trens e de uma dona de casa do Noroeste da Espanha, começou a trabalhar aos 13 anos, numa loja de roupas de La Coruña. Aos 27, junto com os irmãos e a noiva, Rosalia Mera, abriu um negócio de roupas de banho para mulheres.

Até que, em 1975, abriu a primeira loja da Zara, que, uma década depois, já era uma rede e foi incorporada à holding baptizada de Inditex. Justamente naquela época, Ortega e Rosalia se separaram e, depois, se divorciaram — ela ficou como a segunda maior accionista da Inditex. Ele detém 59,3% do capital da companhia.

O valor da Inditex tem crescido nos últimos anos. Seu presidente, Pablo Isla, foi inclusive reconhecido recentemente como o terceiro mais bem-sucedido do mundo pela Harvard Business Review.

O Globo