O músico moçambicano René, popularmente conhecido por Rei Anaconda encontra-se detido desde a última quarta-feira, pela Polícia da República de Moçambique (PRM) acusado pela mulher de ter violado sua própria filha.

É um crime que o músico cometia já desde o ano de 2013 tendo resultado em gravidez e mais de quatro abortos.

Segundo o psicólogo  Bola Júnior, o músico poderá ser indiciado por pedofilia, violação e incesto. “Este é um exemplo de casos de manipulação das crianças pelos pais em resultado da dependência que estas tem por eles, pois, em algum momento elas sentem-se obrigadas em ceder tudo o que seus pais obrigam-nas a fazer, com o medo de perdê-los”, argumentou o psicólogo Júnior.

“É um trauma muito grande para mim e estou muito abalada. Foi difícel para que a minha filha abrisse o jogo… não queria que levássemos o caso a polícia porque sentia medo do pai”, lamentou a mãe da menor.

“Ela temia que o pai nos mandasse de volta para Zambézia, terra em que lá vivemos com muitas dificuldades. Não mais nos daria de comer, roupa para vestir e nem ajudaria-nos em outras despesas ,” acrescentou.

Por sua vez, a Presidente da Liga dos Direitos Humanos (PLDH), Alice Mabote, adiantou que já se está a fazer o devido trabalho de modo a ajudar a menor e sua mãe. “O acto não voltará a trazer dignidade da menor”, ressaltou Alice Mabote, tendo acrescentado que, “apelamos a imprensa para que preserve a imagem da criança, visto que trata-se de um trauma difícil de esquecer”, sublinhou.

A história teve inicio em 2013 quando por curiosidade o indiciado perguntou a filha se ainda era ou não virgem. Tendo respondido que não mais era virgem, o cantor quis comprovar violando-a e, desde lá, a situação tornou-se rotineira. Engravidou e a submeteu a mais de quatro abortos.

Entretanto, as autoridades policiais contam que há suspeitas de que para além da filha, o músico poderá ter violado mais menores que foram suas bailarinas, visto que, foram encontradas no seu telemóvel, várias imagens de meninas, menores semi-nuas.