A Organização Mundial da Saúde (OMS) detectou 35 novos casos do ébola na Guiné Conacri e na Serra Leoa na semana passada, o que mostra que o vírus ainda está activo e não vai acabar com tanta facilidade.

Segundo Bruce Aylward representante da OMS, tem que se redobrar esforços para eliminar esse vírus, visto que os países em causa encontram-se na época chuvosa, e assim sendo, a logística dos funcionários da saúde não será das melhores.

Para Remy Lamah, ministro da saúde da Guiné Conacry as práticas tradicionais e os hábitos e costumes da população daquela região, como o banho dado aos cadáveres é que tem dado espaço para que epidemia não desapareça na totalidade.

Para o médico Brima Karagbo da Serra Leoa, existem alguns avanços no que tange a eliminação do vírus, à medida que os óbitos vão diminuindo entre as pessoas isoladas devido ao ébola. Assim, ele apela a vigilância de todos para se estancar a doença.

De referir, que na mesma ocasião, o representante da OMS revelou que existe um fundo avaliado em 100 milhões de dólares para sustentar os novos casos do vírus.