Cerca de 1100 jovens estudantes finalistas e recém-graduados da Associação dos Estudantes Finalistas Universitários de Moçambique (AEFUM) alistaram-se para participar da 10ª edição do Programa Férias Desenvolvendo o Distrito (PFDD) do presente ano, segundo o qual irão desenvolver várias actividades com o objectivo de impulsionar o crescimento socioeconómico dos diferentes distritos de Moçambique.

Segundo o Assistente de Coordenação da AEFUM, Osvaldo Maguai, deste número, pelo menos 750 jovens poderão ser levados a partir do dia 20 do mês em curso, a prestar o seu contributo nos distritos.

De acordo com a nossa fonte, o que leva a AEFUM a seguir com esta iniciativa são os resultados satisfatórios que compõem o balanço positivo que se faz das actividades que têm sido levadas a cabo desde 2006. “O resultado final é satisfatório para nós embora pensamos que poderíamos ter mais jovens a estagiar. Mas nos indicadores de desenvolvimento tem-se notabilizado o contributo deste projecto, o que para nós é muito positivo”, disse Maguai.

Por seu turno, Hélio Mazive, coordenador da 10ª edição do PFDD, frisa que o balanço que a AEFUM faz é positivo, pois o mesmo se traduz no crescimento e resultados obtidos ao nível do país.

“Constatámos que muitos jovens não têm receio de ir aos distritos trabalhar, o que mostra a grande aceitação que o projecto férias nos distritos tem. Tanto é que, devido ao sucesso do projecto, equacionam-se outras áreas de actividade de modo a enriquecê-lo”, afirmou.

Ao terceiro e último dia de formação, para o ano de 2015, Mazive disse que desta vez os jovens terão a oportunidade de aprender como se comportar no Aparelho do Estado e a identificar oportunidades de negócios.

“Estamos cientes de que muitos jovens que participam não têm noção de como é que um funcionário do Estado deve-se comportar, já que muitos deles estão a estagiar no sector privado. Então, é uma forma de prepará-los de molde a que se tornem experts em matéria de identificação de oportunidades de negócio, na identificação de potencialidades que cada um dos distritos tem, que é com base nessas identificações que esses jovens posteriormente terão iniciativas de empreendedorismo e nós, como AEFUM, procuraremos ajudar na procura de potenciais parceiros para financiar essas iniciativas”, garantiu.

Com efeito, nesta 10.ª edição o destaque vai para o empreendedorismo e auto-emprego, áreas nas quais os jovens podem identificar as possíveis oportunidades nos 128 distritos a serem escalados pelos estudantes.

Medicina, infra-estruturas, agricultura, engenharia civil, comunicação e recursos humanos são as áreas em que os jovens terão uma intervenção directa durante os 30 dias que estiverem a trabalhar nos distritos.