Ministra do Trabalho indeferiu o pedido de Tolerância de Ponto por ter sido enviado tarde, mas os munícipes desrespeitaram a decisão e ficaram em casa.

Algumas instituições do Estado ignoraram a decisão da ministra do Trabalho, Helena Taípo, de não conceder a tolerância de ponto, ontem, à cidade de Matola, por ocasião de mais um aniversário. Tais instituições fecharam por completo os serviços. Aquelas que abriram as portas funcionaram a meio gás por falta de utentes. É que a tolerância de ponto nos aniversários dos municípios tornou-se prática nos últimos anos.

Assim, os munícipes esperavam, era um feriado para festejarem a data sem trabalhar. Exemplo disso foram a Secretaria do Governo da Cidade da Matola; escolas Secundária da Liberdade, Nossa Senhora do Livramento no T3 que, durante esta quarta-feira, encerraram o atendimento ao público.

Sabe-se ainda que muitos cidadãos que trabalham na Matola não se fizeram presentes nos seus postos laborais, por estarem habituados que, na comemoração do dia daquele município, há tolerância de ponto. Aliás, segundo os citadinos da Matola, há mais de 30 anos que, para a comemoração do Dia da Matola, o Ministério do Trabalho concede “feriado”. Porém, este ano, tal acto não aconteceu alegadamente porque o Governo Provincial de Maputo fez o pedido de autorização fora dos prazos legalmente estabelecidos. A norma estabelecida para o pedido de autorização de tolerância de ponto é de dois dias, de acordo com a lei laboral vigente.