O fogo, que destruiu todo armazém numa área de 250 metros quadrados, iniciou-se pouco depois da meia-noite e só terá sido notificado ao Corpo de Salvação Pública quando passava das 6.30 horas.

Residentes das áreas circunvizinhas e pessoas que por ali passavam marcaram sua presença para assistir as chamas a destruírem o estabelecimento.

Um contingente do corpo de bombeiros, composto de viaturas de todos quartéis do Serviço Nacional de Salvação Pública (SENSAP) da cidade e província de Maputo fez-se ao local para debelar as chamas.

Chamas consomem armazém da MOZAFRI

Segundo David Cumbana, porta-voz do SENSAP, a intensidade das chamas deita abaixo toda a possibilidade de reutilizar as paredes existentes, em virtude do perigo iminente de desabarem.

“Até à hora que os bombeiros chegaram ao local, o tecto já havia desabado o que significa que nos foi comunicado muito tarde. O que podemos avançar é que tudo foi consumido pelo fogo e as paredes estão em risco de cair, pelo que não poderão ser mantidas em caso de reconstrução”, disse Cumbana.

Dos bens destruídos pelo fogo destaca-se produtos alimentares diversos, bebidas alcoólicas e electrodomésticos.

Jornal Noticias