Sociedade Mulheres e raparigas deslocadas sofrem abusos sexuais em Cabo Delgado

Mulheres e raparigas deslocadas sofrem abusos sexuais em Cabo Delgado

Uma investigação feita pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados aponta para “indícios de violência baseada no género generalizada”, entre deslocados da guerra em Cabo Delgado.

Um líder comunitário em Cabo Delgado abusou sexualmente de uma deslocada e pressionou o seu senhorio a ameaçá-la de despejo por esta ter apresentado queixa na polícia, de acordo com um relatório que ilustra casos de abuso no norte de Moçambique. A investigação foi feita pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) e pela Escola de Higiene e Medicina Tropical da Universidade de Londres e levanta a prevalência da violência de género na região.

Mulheres e raparigas que resistam ou apresentem queixa são ameaçadas de ser retiradas das listas de distribuição de assistência humanitária, “incluindo apoio em alimentos ou outras formas de assistência”, lê-se no documento.

Sem apresentar números, o estudo mostra que os abusos feitos por grupos rebeldes continuam durante a fuga de zonas de conflito e nos locais de acolhimento. Samuel Chakwera, representante do ACNUR em Moçambique, diz estar preocupado com as “graves descobertas”. O representante apela para que “se faça mais para dar resposta a esta crise e apoiar famílias deslocadas e respetivas comunidades de acolhimento”.

FONTEDW