Início Internacional Denúncias de abusos sexuais suspenderam financiamento da OMS na RDCongo

Denúncias de abusos sexuais suspenderam financiamento da OMS na RDCongo

Anúncio foi feito, na sexta-feira (29.10), pela Comissão Europeia, que afirma que “os factos relatados são chocantes”. Em causa estão revelações de abusos sexuais levados a cabo por funcionários da OMS, em 2019.

Bruxelas suspendeu temporariamente o financiamento dos programas da Organização Mundial de Saúde (OMS) na República Democrática do Congo, após revelações de abusos sexuais por vários funcionários no país, afirmou, esta sexta-feira (29.10), um porta-voz da Comissão Europeia.

A 28 de setembro, uma comissão de inquérito independente divulgou um relatório devastador para a OMS, revelando que 21 dos seus funcionários na altura, entre 83 alegados autores de abusos sexuais, abusaram de dezenas de pessoas na República Democrática do Congo (RDCongo) durante o surto de Ébola, de 2018 a 2020.

A Comissão apela à OMS para que tome medidas legais contra os perpetradores dos abusos e forneça o apoio necessário às vítimas.

A OMS rescindiu os contratos com quatro das 21 pessoas que ainda empregava diretamente. Dois funcionários superiores da OMS foram colocados em licença administrativa.

FONTEDW
Artigo anteriorPRM apreendeu duas pontas de marfim abandonadas em Niassa
Próximo artigoEstádio da Machava acolhe provas do desporto motorizado de Drift e gincana