Parece insólito, mas é verdade. Um gelado foi dado como ‘contaminado’ pelo novo coronavírus, no município de Tianjin, no norte da China, após três amostras terem tido resultado positivo para o vírus.

De acordo com a Sky News, as autoridades estão agora a rastrear todas as pessoas que tiveram “contacto” com os lotes de gelado, que foram produzidos pela ‘Tianjin Daqiaodao Food Company.

A mesma publicação adianta que 4.836 caixas do gelado em questão foram deitadas ao lixo, devido à contaminação. 2.089 ainda não tinham saído da empresa e 65 já tinham sido vendidas.

Todas as pessoas que compraram o gelado em questão devem agora contactar as autoridades.

Segundo os investigadores epidemiológicos, a empresa produziu o lote de gelados com leite em pó importado da Nova Zelândia e soro de leite importado da Ucrânia.

Apesar de “causar alguma preocupação”, o virologista Stephen Griffin, da Universidade de Leeds, já garantiu que não é necessário entrar em “pânico”, pois, ao que tudo indica, tratou-se de um “caso pontual”.

“É provável que o vírus tenha vindo de uma pessoa, muito provavelmente é um caso isolado. É claro que qualquer nível de contaminação não é aceitável e causa alguma preocupação, mas tudo indica que isto tenha acontecido durante a produção do gelado, devido à higiene da fábrica”, explicou o especialista.

A temperatura fria e o facto de conter gordura podem explicar o facto de o vírus ter sobrevivido tanto tempo.

Já a fábrica colocou os 1.662 funcionários da empresa em quarentena e todos foram submetidos a testes à Covid-19.