O ministro moçambicano da Defesa Nacional, Jaime Neto, disse que o apoio que tem sido dado às forças de defesa e segurança por parceiros internacionais permitiu a recuperação de várias zonas que tinham sido ocupadas por insurgentes em Cabo Delgado, incluindo o porto de Mocímbia da Praia.

Os parceiros internacionais de Moçambique na luta contra a insurgência incluem a União Europeia. A SADC e outros países manifestaram também interesse em ajudar.

Jaime Neto avançou que nessa ajuda particular atenção tem sido dada à capacitação das forças de defesa e segurança, e os resultados já se fazem sentir no terreno.

As autoridades governamentais dizem que as famílias que abandonaram as suas habitações nos distritos de Meluco, Macomia e Quissanga, poderão, em breve, retornar às suas zonas de origem porque já existem condições de segurança.

Por outro lado, o ministro da Defesa nacional afirmou que a Marinha de Guerra intensificou a fiscalização no porto de Mocímboa da Praia, ocupado por insurgentes em agosto de 2020.

“O porto de Mocímboa da Praia não continua com o inimigo. Eles andam no distrito, sim, um e outro, e se calhar, promovem as suas actividades lá, mas a Marinha de Guerra fortificou o seu trabalho de fiscalização”, disse Neto.

Na noite de 12 de Agosto, os insurgentes invadiram o porto de Mocímboa da Praia, e os confrontos com as forças de defesa e segurança provocaram um número não conhecido de mortos, para além de diversas infraestruturas destruidas.

Jaime Neto disse, na altura, que os insurgentes se infiltraram nas comunidades, comandando ataques contra as forças governamentais de dentro para fora do distrito, o que facilitou a sua permanência no local por muito tempo.

“Nós acreditamos que um e outro insurgente ainda continua no distrito e nós estamos a fazer o esforço para o recuperar e colocar todas as instituições a funcionarem”, declarou o ministro moçambicano da Defesa Nacional.