O Presidente do Conselho Municipal da Beira, Daviz Simango, exortou aos moradores de zonas vulneráveis a alagamentos e inundações a abandonarem rapidamente os locais, devido a aproximação da tempestade tropical Eloise, que deve atingir a cidade hoje.

Trata-se das zonas costeiras de Dama, Rio Ladrão, Njalane e Casa Partida. O alerta estende-se aos pescadores que operam nesses locais para tomarem as devidas precauções de forma a evitarem catástrofes como aconteceu em Março de 2019, aquando do ciclone Idai.

“Face a esta situação imposta pelas mudanças climáticas, voltamos a aconselhar a todos os munícipes para assegurarem sacos de areia sobre as chapas de cobertura expostas ao vento e a libertarem as linhas (de passagem) de água, de modo que corra para os sistemas de drenagem e fiquem dentro das casas”, recomendou.

Aconselhou ainda as pessoas a evitarem ficar em lugares à volta dos escombros ou paredes degradadas, árvores e postes de energia.

Daviz Simango pediu que as pessoa não entrem em panico e cumprem as orientações comunicadas através das instituições especializadas como a o INAM e o Instituto Nacional de Gestão do Risco e Desastres (INGD).

De acordo com Simango, os chefes dos postos administrativos, secretários dos bairros e todo executivo municipal estarão em prontidão para socorrer eventuais situações calamitosas.

Chuva torrencial desde ontem na Beira

A PROVÍNCIA de Sofala e da Zambézia estão desde ontem a ser fustigadas por chuva torrencial devido a aproximação da tempestade tropical Eloise, que neste momento encontra-se no canal de Moçambique.

Na província de Sofala o fenómeno da chuva verifica-se nos distritos costeiros da Beira, Dondo, Buzi, Machanga e Chibabava, enquanto na Zambézia atingiu o distrito de Chinde, Inhassunge e Quelimane.

Neste momento, o centro do ciclone está há cerca de 340 km da cidade costeira de Beira e está previsto atingir o solo moçambicano na madrugada deste sábado dia 23, disse Mussa Mustafa, director geral adjunto do Instituto Nacional de Meteorologia.

A fonte salientou que o fenómeno já está a provocar agitação no mar, o que condiciona a navegação e prevê-se que em terra os ventos possam atingir entre 100 e 150 km por horários.

As autoridades municipais da cidade da Beira ordenaram o encerramento de todas instituições públicas e privadas, desde as 11 horas de hoje, para permitir que os citadinos possam recolher aos seus aposentos, de modo a reforçar a segurança das suas habitações.

 

A edilidade exorta ainda aos beirenses a abrir canais para o escoamento de águas pluviais para as valas de drenagem.