O líder da Renamo, Ossufo Momade, expressou na terça-feira (29), a “revolta” do seu partido, pelo assassinato do antigo delegado político do seu partido em Manica, sofrimento Matequenha, cujo corpo foi encontrado ao logo do último fim-de-semana, no distrito de Gondola.

Na sua primeira reação pública sobre o sucedido, Momade quer que seja levada a cabo uma investigação “profunda” para apurar e responsabilizar os culpados pelo facto.

“Exigimos, desde já, que inicie um sério trabalho de investigação policial, tendente a esclarecer este crime e punir, exemplarmente, os responsáveis directos e mandantes destes actos macabros contra moçambicanos, para evitar que continuemos a assistir situações de impunidade” disse Momade, numa comunicação que serviu para fazer o balanço do ano.

A Renamo baseia-se, desde já, nas informações colhidas junto à família do malogrado, segundo as quais, teria sido raptado por supostos elementos da Polícia da República de Moçambique (PRM) e classifica o que aconteceu com o seu antigo delegado político como uma “execução sumária” que deve ser condenada e fazer-se justiça “em prol dos moçambicanos e membros da oposição desaparecidos”.