Início Internacional Africa Etiópia admite ter disparado contra avião da ONU em Tigray

Etiópia admite ter disparado contra avião da ONU em Tigray

Tropas etíopes atiraram e detiveram funcionários da ONU depois que eles passaram por postos de controle na região de Tigray, atingida pelo conflito, confirmou o porta-voz do governo Redwan Hussein.

A equipe da ONU ignorou as instruções para não estar na área, acrescentou.

As forças do governo lutam contra a Frente de Libertação do Povo Tigray (TPLF) na região desde 4 de novembro.

A equipe da ONU estava tentando visitar um campo para refugiados eritreus no domingo, quando ocorreu o tiroteio.

Tem havido muita preocupação com o destino dos refugiados após relatos não confirmados de que tropas da Eritreia cruzaram para Tigray, e levaram alguns deles de volta para a Eritreia.

Ambos os governos negam que tropas da Eritreia estejam em Tigray para ajudar a derrotar a TPLF.

A ONU apelou ao governo etíope para dar “acesso humanitário irrestrito” a Tigray em meio à preocupação com a escassez de alimentos e suprimentos médicos em uma região com uma população de mais de oito milhões.

“Alguns funcionários da ONU foram detidos e outros alvejados”, disse Redwan, citado pela agência de notícias AFP.

“Eles quebraram dois postos de controle para dirigir a áreas onde não deveriam ir e que foram instruídos a não ir. Quando estavam prestes a quebrar o terceiro, foram alvejados e detidos ”, acrescentou.

A ONU ainda não comentou o incidente.

Por que existem refugiados na Etiópia?

Muitos eritreus fugiram pela fronteira para Tigray ao longo dos anos para escapar do recrutamento militar e da perseguição política.

A Eritreia é um estado de partido único altamente militarizado que é governado pelo Presidente Isaias Afwerki desde que se tornou independente da Etiópia em 1993.

FONTENilepost
Artigo anteriorÁfrica do Sul aperta as restrições da Covid-19 antes do Natal
Próximo artigoQuadra festiva: INATTER apela aos automobilistas a serem prudentes na condução