“Com seis capítulos, o Presidente da República lançou, ontem, “Legado: organizando-nos em defesa da Pátria”, uma obra dedicada a trazer a público as realizações do sector da Defesa na altura em que Filipe Nyusi era ministro da Defesa, isto é, de 2008 a 2014.

”O nosso pedido é que essa obra seja lida de forma evolutiva, em cada fase, para que ela não se torne um dogma ou desajustado aos desafios do momento. Esta não é uma receita para resolver os problemas de hoje. É sim uma base para inspirarmos na solução dos problemas do sector da Defesa Nacional”, destaca o Presidente da República. Lembre-se, alguns destes problemas que o sector da Defesa enfrenta é o terrorismo em Cabo Delgado, tema que nos últimos tempos ganha maior debate a nível nacional e internacional. Há ainda a destacar os ataques no centro do país.
Para Filipe Nyusi, esta obra é “uma tentativa de melhor guiar aqueles que operacionalizam a missão de defender a pátria”.
E para chegar a titular da Defesa, Filipe Nyusi agradece a confiança do antigo Presidente da República, Armando Guebuza, em indicá-lo ao cargo.
“Pretendemos continuar a dar o nosso contributo para esta sociedade que tanto merece, precisa e em especial as Forças Armadas de Defesa de Moçambique. Quero por isso agradecer do fundo do meu coração ao antigo Presidente da República de Moçambique, Armando Emílio Guebuza, que me convidou e encorajou-me a aceitar dar o meu contributo em frente do Ministério da Defesa Nacional”.
Coube ao antigo ministro do Mar,
Águas Interiores e Pescas, Agostinho Mondlane, fazer a apresentação da obra e felicita ao estadista moçambicano pela coragem. Aliás, Mondlane defende que este instrumento é um processo de transformação das mentes pela segurança.
“Esperamos que muitos moçambicanos se sintam encorajados a escrever sobre este tipo de temática”, diz.
Do evento participaram diversas personalidades, entre governantes, dirigentes de instituições do Estado e membros do partido Frelimo.