Uma mulher foi detida em Dondo, na província de Sofala indiciada, de ter queimado o marido com recurso a óleo de cozinha. A vítima encontra-se internada no Hospital Central da Beira em estado crítico.

O crime ocorreu no princípio da noite da passada segunda-feira 27, no posto administrativo de Mafambisse. De acordo com a polícia o casal estava a brigar. A senhora “deliberadamente levou uma panela ao lume depois de introduzir óleo nela. Quando já estava quente entornou o líquido sobre o corpo do marido tendo o óleo quente queimado grande parte do corpo. Depois de receber os primeiros socorros no hospital local ele foi transferido para o Hospital Central da Beira, onde está sob cuidados intensivos na sala de reanimação”, esclareceu Daniel Macuácua, porta-voz da PRM.
Do Hospital Central da Beira este jornal soube que o estado de saúde da vítima é crítico.

“Ele está com dificuldades de comunicação, locomoção. Está traumatizado. Partes sensíveis do seu organismo sofreram queimaduras do segundo grau. A equipa médica está a fazer tudo o que pode para poder reanimá-lo. Vamos aguardar”, explicou Ricardo Molinho, porta-voz do Hospital Central da Beira.

A autora do crime, alegou que recorreu ao óleo para defender-se de alegadas pancadarias do seu parceiro, num desentendimento que dura desde 2010, em torno de uma rival e filho desta, cujo pai é o marido dela.

“Desde 2010 temos brigado constantemente e sempre ele agredia-me fisicamente. Naquela noite ele tinha uma faca nas mãos e dizia que pretendia matar-me. Apertou-me o pescoço e bateu o meu corpo sobre uma das paredes da casa várias vezes. Havia uma panela no lume que coloquei lá óleo para preparar o jantar. Em defesa peguei na panela e atirei contra o meu marido.

Reconheço que cometi este facto, mas foi em legítima defesa”, disse a senhora.

O casal vive junto há mais de 20 anos e têm três filhos. Este é o primeiro caso do género a ser registado na província de Sofala.